3 dicas para utilizar o neuromarketing em vendas de modo impecável

07/05/2019 Televendas 0 comentários
3 dicas para utilizar o neuromarketing em vendas de modo impecável - Softium
— Confira também —
Um guia para ter um bom sistema de televendas

As técnicas empregadas nas mais diversas estratégias de marketing seguem em constante evolução, aprimorando-se com o passar do tempo. Nesse contexto, o neuromarketing em vendas tem apresentado excelentes resultados, motivo que o faz ser parte integrante do planejamento de organizações dos mais variados portes e segmentos de atuação.

Afinal, a capacidade de elaborar comunicações que efetivamente convençam o público-alvo a adquirir os produtos e/ou serviços comercializados é sinônimo de sucesso em vendas. Os consideráveis avanços científicos em relação à compreensão do funcionamento do cérebro humano renderam frutos que, recentemente, passaram a ser aplicados nas estratégias de vendas.

Pensando nisso, abordamos, ao longo deste artigo, o conceito de neuromarketing e apresentamos 3 excelentes dicas para ajudar você a aplicá-lo em vendas na sua empresa. Boa leitura!

O conceito de neuromarketing

O neuromarketing pode ser compreendido como o estudo referente à jornada de compra, englobando os motivos que influenciam os consumidores (atuais e potenciais) a tomarem decisões tanto antes quanto após a efetivação de suas compras.

Entretanto, além dessa definição “tradicional”, há diversas formas pelas quais o conceito em questão é utilizado. Tal variação se deve às diferentes perspectivas e abordagens, que dependem, basicamente, do ponto de vista de quem o formula ou instrumentaliza.

Temos, assim, uma compreensão do neuromarketing que o considera como uma disciplina científica, cujo principal objetivo é encontrar a melhor forma para converter produtos e/ou serviços de uma determinada marca, monitorando o comportamento do cliente daí resultante.

O neuromarketing é entendido, também, como uma ferramenta voltada à otimização dos recursos empresariais, auxiliando os líderes e gestores na criação de estratégias especificamente desenvolvidas para atender aos reais anseios, dores e necessidades de seus clientes.

O que unifica todas as distintas concepções é o fato de que o neuromarketing utiliza os conhecimentos oriundos da neuropsicologia e da neurociência para enriquecer estratégias de marketing e vendas.

Isso significa que a identificação de padrões mentais, cientificamente corroborados, serve para fornecer informações relevantes para a elaboração de modelos publicitários personalizados para cada tipo de público.

É de suma importância mencionar, a esta altura, que não se trata de uma tentativa de controlar, guiar ou manipular a mente e, consequentemente, a livre vontade dos consumidores, mas de conhecer os seus comportamentos para disponibilizar serviços e produtos adequados.

O neuromarketing nas estratégias de vendas

Para aplicar, com sucesso, o neuromarketing, você não terá que investir em pesquisas e estudos demorados e caros: você pode encontrar várias descobertas muito interessantes e perfeitamente acionáveis por meio de uma simples pesquisa na internet.

A seguir, você encontrará algumas das mais eficazes iniciativas, que, a despeito de sua aparente simplicidade, podem alavancar a sua performance de vendas. Confira:

1. Utilize imagens

A grande maioria das pessoas preferem conteúdos apresentados em formatos visuais. De acordo com um levantamento recentemente divulgado pela Buffer, os conteúdos visuais têm 40 vezes mais chances de ser compartilhados nas redes sociais do que outras formas de conteúdo.

Isso se dá porque os seres humanos compreendem muito mais fácil e imediatamente as imagens do que as palavras. Logo, se você deseja garantir que as suas mensagens se destaquem, deve sempre relacionar uma imagem, a fim de tornar o conteúdo mais persuasivo (pode ser a própria foto do produto à venda ou uma sintetização visual).

Você já reparou como as redes sociais que são fundamentalmente visuais influenciam profunda e rapidamente as pessoas, como o Pinterest e o Instagram?

Essas plataformas se beneficiam do fato de que o cérebro reage mais velozmente ao estímulo visual, fazendo com que a mensagem “embutida” nas imagens cheguem quase que instantaneamente ao cérebro dos usuários.

Uma vez que a mente é tão sensível a esses estímulos, você deve utilizar vídeos e fotos que realmente possam despertar a atenção do seu público, trabalhando o design das suas artes de modo mais atrativo, por exemplo, combinando cores e letras.

2. Explore as emoções

De acordo com o Insper, as decisões dos consumidores são fortemente influenciadas por suas emoções. Tal fato, amplamente conhecido pelos estrategistas das grandes corporações, abre as portas para uma extensa gama de iniciativas que visam cativar e buscar a empatia com o cliente.

Sem embargo, é imprescindível conhecer a fundo o perfil do seu público para evitar abusos e apelações desmedidas. O ideal é contar histórias que conectem diretamente a sua marca aos potenciais clientes de forma autêntica.

Todavia, vale lembrar que os seres humanos também são movidos pela razão, de modo que nem sempre as emoções estão 100% no controle das decisões de compra. Portanto, além de estimular ações mais sentimentais e impulsivas, é altamente recomendável articular racionalidade às suas estratégias de vendas.

Embora as pessoas tenham muitos padrões cerebrais que as levam a agir “sem pensar duas vezes”, enquanto ser racional, todos somos capazes de preservar um certo equilíbrio e tomar decisões analíticas.

Dito de outra forma, caso um indivíduo se sinta profundamente atraído por uma “promoção-relâmpago”, se os produtos comprados não forem considerados bons, ou seja, não resolverem os seus problemas, a constatação da ineficácia dos itens comprados levará a uma frustração superior ao impulso inicial da emoção.

3. Aposte em conteúdos persuasivos

Uma das técnicas de maior êxito na criação de conteúdos persuasivos é a de copywriting. Ela contém elementos que ajudam a atingir com precisão a mente dos consumidores, contribuindo significativamente para elevar as conversões em vendas.

Ao desenvolver essa técnica, você deve utilizar os elementos que estão na mente do seu cliente, construindo argumentos que pulverizem quaisquer objeções e mantenham o foco em suas necessidades. Antes de finalizar o conteúdo, você pode citar o serviço ou produto que comercializa como a melhor solução para resolver o problema dele.

Cumpre ressaltar, por fim, que são incontáveis os benefícios que o neuromarketing em vendas oferece às mais diferentes empresas. Entre os mais importantes, destacam-se: melhorar o posicionamento no mercado, aprimorar as técnicas e estratégias de vendas e elevar o poder de convencimento da marca.

Gostou do artigo? Então, não perca a oportunidade de se manter sempre atualizado: assine a nossa newsletter e receba os melhores conteúdos toda semana diretamente em seu e-mail!